Umbler. Copywriting com Jobs To Be Done.

O papel do copywriting e como Jobs To Be Done pode ajudar.

Direto ao ponto. Os melhores copywritings deixam muito claro para os leads se um determinado produto é para eles ou não. Assim, praticantes de Jobs To Be Done acreditam que os jobs e os “struggling moments” podem ajudar muito no copywriting .

“Struggling o quê?”

Então, enquanto não temos um post por aqui sobre o assunto eu recomendo a leitura do artigo do Alan Klement sobre os struggling moments. Mas se você estiver com pressa, pode encarar um struggling moment como as situações (aqui o contexto é muito importante) em que o cliente enfrenta dificuldades com a solução atual.

Esse conteúdo vai se basear em alguns conceitos mais específicos sobre Jobs To Be Done. Assim, se o assunto é novo para você, seria interessante dar uma lida pelo menos sobre “O que é Jobs To Be Done?”.

Mas voltando para o copywriting, a seguir, uma análise do copywriting da Umbler para o produto de email profissional.

O copywriting do email profissional da Umbler.

A Umbler é uma startup de hospedagem de sites e emails com foco em agências digitais e desenvolvedores. Em diferentes copies da Umbler é possível identificar jobs e struggling moments, mas vamos focar na de email profissional.

Url do copywriting: https://www.umbler.com/br/email-profissional

Logo de cara, o job mais amplo.

A primeiríssima coisa escrita na copy é “Faça mais negócios com um email profissional”.

A primeiríssima coisa escrita na copy é “Faça mais negócios com um email profissional”.

Emails servem para várias outras coisas, mas com certeza um email profissional tem o job de fazer negócios. Se pensarmos sobre a perspectiva dos clientes da Umbler (agências digitais e devs), faz ainda mais sentido.

Vale a pena destacar o quão subjetivo é esse job mais amplo. Fechar negócios claramente não é uma atividade. Entretanto, embora esse copywriting comece pelo job mais abstrato, ele rapidamente o liga com o produto em si, nesse caso, com o email profissional.

Entretanto, não se pode parar nesse nível de abstração. Precisamos criar engajamento com o lead através de struggling moments e dos jobs to be done. É por isso que logo abaixo dessa headline que falamos, vem o ponto abaixo.

O ponto é evitar listas de funcionalidades de produto e diversos print-screens que mostram tudo o que ele é. Lembre-se, os leads querem saber se o produto atende o problema deles, então, o que é mais fácil?

Descrever todas as funcionalidades e fazer com que o cliente faça toda uma simulação mental que verifica se o produto serve para o job ou deixar o job bem claro logo de cara?

A segunda opção é mais direta e, muito importante, demanda muito menos raciocínio e projeções por parte do lead.

Um struggling moment crítico e diretamente ligado ao job mais amplo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *